Já sentiu dores constantes no ossinho do cotovelo?

O uso excessivo dos braços, antebraços e mãos pode gerar dores no cotovelo, a epicondilite lateral. Conhecida também de cotovelo de tenista, essa lesão ocorre de maneira mais comum em atletas que utilizam raquetes, sendo muito frequente em atletas amadores e tenistas profissionais pois seus movimentos repetidos de rotação, extensão e flexão do punho provocam este dano.

A dor é sentida na lateral do cotovelo podendo acontecer de forma súbita ou gradual levando a incapacidade de atividades repetitivas com o braço. Essa inflamação que ocorre nos tendões dos músculos do antebraço, levam a dor e a sensibilidade para a parte externa do cotovelo, o chamado “ossinho”.

Porém, não são apenas os atletas que sofrem com essa lesão. Profissionais que utilizam movimentos repetidos em seu cotidiano também estão expostos a este dano no cotovelo. Os pintores, carpinteiros, encanadores, cozinheiros, açougueiros também estão propensos a desenvolver o “cotovelo de tenista”. Suas atividades profissionais exigem a repetição de movimentos e levantamentos de peso.

As dores no ossinho do cotovelo são mais comuns em pessoas entre 30 e 50 anos

Os sintomas desenvolvem-se de forma gradual, as dores começam levemente e pioram com o passar das semanas e meses. Geralmente não é identificada uma lesão específica no início dos sintomas.

Quais são os sintomas da dor no cotovelo?
  • Dor e queimação no ossinho do cotovelo
  • Sensação de formigamento no braço e dedos
  • Fraqueza na mão, em especial quando você aperta a mão
  • Cotovelo rígido com a dor irradiando para o braço e punho
  • Para os atletas a dor piora ao movimentar a raquete.

O braço mais afetado é o dominante, entretanto, ambos os braços podem ser afetados. Há alguns fatores de risco para o desenvolvimento da epicondilite lateral, porém, ela pode ocorrer sem nenhuma lesão repetitiva, sendo de causa desconhecida.

Tratamentos para a dor no ossinho do cotovelo

A maioria dos pacientes têm sucesso com o tratamento não cirúrgico, por isso é indispensável ter o acompanhamento médico desde o início das dores. Descansar é o primeiro passo para a recuperação, interromper as atividades físicas por um período é essencial. O uso de anti-inflamatórios pode ser recomendado pelo médico. Para os atletas ter o acompanhamento do ortopedista especialista é recomendado, pois ele pode verificar e avaliar o perfil do equipamento utilizado nos treinos de acordo com a sua estrutura corporal.

Ficou com dúvidas? Entre em contato conosco e agende a sua consulta.

Deixe um comentário