O que é a Síndrome das Pernas Inquietas?

Você já ouviu falar da Síndrome das Pernas Inquietas? Trata-se de um distúrbio caracterizado por alterações de sensibilidade e agitação motora involuntária dos membros inferiores. Isso significa que o paciente que sofre com essa condição move as pernas involuntariamente. Apesar das pernas serem os membros mais afetados, os braços também podem sofrer com essa síndrome.

Causas da Síndrome de Pernas Inquietas

Infelizmente, ainda não se sabe o que causa essa enfermidade. Contudo, alguns especialistas acreditam que ela seja provocada por um desequilíbrio da dopamina no cérebro, responsável por enviar mensagens que controlam os movimentos dos músculos corporais.

Os fatores de risco que contribuem para o surgimento da Síndrome das Pernas Inquietas são:

  • Anemia;
  • Obesidade;
  • Tabagismo;
  • Privação de sono;
  • Uso excessivo de álcool e cafeína;
  • Determinados medicamento para doenças psiquiátricas;
  • Doenças crônicas, como diabetes, doenças renais, doença de Parkinson, etc.

Além disso, outras possíveis causas para essa disfunção podem estar associado a gravidez, predisposição genética, ou seja ,ter alguém da família que possui a enfermidade após os 40 anos de idade, ou até mesmo estar em processo de retirada de um sedativo.

Mas quais são os sintomas dessa síndrome?

O principal sintoma apresentado nos casos de Síndrome das Pernas Inquietas, costuma ser a necessidade de mover as pernas quando se está deitado. Outros sinais da existência desse problema podem ser dor, formigamento, pontadas e arrepios.

Esses sintomas podem variar de intensidade e diminuem conforme o paciente movimenta o membro. Geralmente, eles se manifestam a noite, fazendo com que o paciente não consiga ter uma boa noite de sono.

Tratamento

Se a síndrome for provocada por doenças subjacentes, como anemia, o problema é resolvida assim que o paciente realiza o tratamento para a doença principal. Quando não houver nenhuma condição associada a Síndrome das Pernas Inquietas, o tratamento é voltado para o uso medicamento e mudanças de hábitos.

Banhos quentes, massagens, prática de exercícios com certa regularidade e a redução do consumo de cafeína são indicados para pacientes que sofrem com esse problema.

Deixe um comentário